History
Icon-add-to-playlist Icon-download Icon-drawer-up
Share this ... ×
...
By ...
Embed:
Embedded player size:
Embedded player preview:
300x300_1881705
itunes pic
Icon-play-large
ENTREVISTA DO MÊS | Daniele Miranda |
Time-length-icon 0m 11s
Plays-icon 33
Icon-like
Publish-date-icon June 2, 2009
Icon-add-to-playlist Add to Playlist
Icon-download-mini Download Episode

Subscribe-itunes-badge
EPISODE DESCRIPTION

Ativista embarcada no navio Arctic Sunrise, um dos três navios da frota do Greenpeace.

Por Thiago José

Mergulhar é seu lazer. Mais do que isso, é “estar no silêncio do mar vendo a perfeição que é a natureza em cada pedaço de vida”. É uma atividade simples que faz Daniele se sentir feliz e aproveitar melhor a vida.

Estudante de biologia, nossa ativista deixou os estudos e família para viajar durante três meses a bordo do Arctic Sunrise, um dos três navios da frota do Greenpeace, rumo à Holanda, de onde deve embarcar de volta ao Brasil ainda esse mês. O trabalho? Lixar, pintar, limpar, consertar e organizar; é o que faz todo dia das 07 às 17 horas. Para a ativista cada pedaço do navio que cuida, faz com que se sinta realizada, por saber o quanto esta “ferramenta” é importante na luta das campanhas do Greenpeace. “Como o nome já diz, antes de voluntário é um trabalho como qualquer outro. Mas é o melhor”, afirma a futura bióloga.

Daniele tem apenas vinte um anos e um sonho bem simples, ver uma baleia de perto; talvez nadar com ela. Em entrevista ao Blog do Grupo de Salvador, a ativista fala sobre seu trabalho no Greenpeace, o convite para a viagem e o convívio com pessoas de diversas nacionalidades a bordo do Arctic Sunrise, onde afirma ter aprendido a respeitar mais as diferenças.

ENTREVISTA

GreenpeaceSSA | Quando começou seu interesse por trabalhos voluntários?

DANIELLE MIRANDA | Sempre fui apaixonada pela natureza e por animais, mas como não encontrava muitas pessoas como eu, nao sabia como encontrar uma instituicão para me voluntariar. Ia participando das coisas que eu ficava sabendo como feiras, et cétera.

Gp.SSA | E pelo Greenpeace, quando surgiu a “paixão”?

D.M | Quem tem algum compromisso com a natureza quer fazer parte do Greenpeace. É certo! Comigo não foi diferente. Um dia, numa manifestacao contra animais em circo, conheci pessoas que faziam parte do Greenpeace. Me informaram que haveria selecão um tempo depois. Estou aqui até hoje.

Gp.SSA | Como surgiu o convite para a viagem?

D.M | Em uma tarde de Open Boat em Salvador, o Coordenador de Logística veio me perguntar se eu queria ficar mais 3 meses no navio. Não tinha outra resposta, a não ser sim!

Gp.SSA | O que te fez largar tudo e seguir viagem rumo à Holanda?

D.M | Para muitos parece loucura jogar tudo pra cima e embarcar nessa historia. Mas só de pensar que estou cuidando do navio, que por onde passa leva esperanca, durmo muito mais feliz! Pode ter certeza, (risos).

Gp.SSA| Como essa “Experiência” está mexendo com você?

D.M | Nossa! Hoje eu digo: minha vida é um x. Com o navio estou indo dos lugares mais isolados aos mais povoados que podem existir na terra. Aprendi a me desapegar de pequenos detalhes e viver cada dia como se fosse o último. E a cada dia me torno mais ambientalista.

Gp.SSA| Como é viver em um navio com pessoas de diversas nacionalidades?

D.M | Eu diria interessante. Todo mundo deveria passar por uma experiencia como essa um dia. Assim a gente pode descobrir novos costumes e entender porque não existem duas pessoas iguais. Aprendi a respeitar mais as diferencas.

Gp.SSA | Descreva o seu dia-a-dia a bordo do Arctic Sunrise?

D.M | Acordo as 7h, pego um café e fico até às 8h olhando para o mar. As 8h comecamos a limpeza do navio, limpeza mesmo - banheiro, corredor, chuveiro, et cétera. Depois vem o trabalho pesado: lixar, pintar, consertar e organizar. É isso que faço todo dia até as 17horas. De cada pedaço do navio que cuido, me sinto realizada, por saber o quanto esta ferramenta é capaz de ajudar na luta das nossas campanhas.

Gp.SSA | Fazendo parte hoje da tripulação do Navio e olhando para o passado, você faria algo diferente?

D.M | Nada! É bom estar aqui dentro e ver que a tripulação é formada por pessoas normais como qualquer um de nós, que acredita nos seus objetivos e batalha por eles.

Gp.SSA | Quando voltar ao Brasil o que espera encontrar? Com quais olhos você acha que as pessoas vão te olhar?

D.M | Quero encontrar o mesmo que eu deixei. Família, amigos e mais Green! Como vão me ver, eu não sei, mas continuarei sendo a mesma Daniele de sempre, sem mais nem menos.

Gp.SSA | Seria isso possível Dani?

COMMENTS
You must be logged in to post a comment.
x
Embed Code
After customizing your player (optional), copy and paste the embed code above. The code will change based on your selections.
Color:

Size:
300x85
440x85
620x85
Custom
Width: px
Height: 85px

Min. width: 200px


Start playing automatically?
No Yes
Help | Terms | Privacy | Partners | PRO Support
© 2015 PodOmatic, Inc.